Mais de 30% dos portugueses que terá de mudar de emprego

mudar de emprego

O mercado de emprego está a mudar com a automatização dos processos. É preciso diferenciar as qualificações e os modelos de emprego.

Desde sempre que ouvimos falar nos cenários mais escuros relativamente ao mercado de trabalho. Não se confirmando tamanho cenário, uma coisa é certa: os empregos e o mercado de trabalho está mudar a um nível tecnológico velocíssimo. Esta automatização do mercado de trabalho, faz com que algumas funções se tornem obsoletas. Essa transformação deverá afetar especialmente Portugal e obriga então a mudar de emprego.

“O Futuro do Trabalho”

Os dados citados por Paula Panarra durante a sua intervenção na conferência “O Futuro do Trabalho” realizada na AESE – indicou para uma grande possibilidade de uma potencial de automação acima da média  no nosso país. Entre 4,5 milhões de empregados, 1,8 milhões terão de mudar de emprego ou melhorar as suas qualificações. Isto será claramente prejudicial ao trabalhadores que estiveram durante anos a exercer as mesmas funções. Este período de mudança e adaptação será mais complexo.

Soft skills – o que são e como valorizam o teu CV

“Interagir livremente no local de trabalho.”

A diretora-geral dia Microsoft Portugal apontou que o trabalho utiliza cada vez mais ferramentas de mobilidade, é mais colaborativo e que os mais jovens veem na escolha de onde querem trabalhar uma expressão dos seus valores.

Acrescentou que para as novas gerações, o que é inaceitável é não poderem interagir livremente no local de trabalho.

Perante esta entrada de novas gerações na cultura das empresas, que estão a obrigá-las a adaptarem-se, existe um risco de outras serem deixadas para trás.

Em suma, alerta-se à necessidade de evoluir os processos educativos a uma clarificação mais precisa da realidade do hoje e do que poderá vir a acontecer. A verdade é que não existem cargos de trabalho como antigamente e que o processo de mobilidade constante é uma prática cada vez mais real. As novas gerações deveram ter uma noção mais realista do mercado e assim tomarem decisões mais direcionadas para o futuro.

Luis Nunes

Apaixonado pelo marketing online e offline, redes sociais, música e desporto. Energético, auto-motivado e sempre ansioso por novos desafios, dedica toda a energia ao marketing digital e à criação de marcas.

Este artigo foi útil? Partilha com os teus amigos