5 sinais que identificam colaboradores tóxicos

colaboradores toxicos

Um ambiente de trabalho tóxico é pouco saudável, além de ser desconfortável para todos os que partilham esse espaço. É uma consequência direta das atitudes dos colaboradores tóxicos.

Um colaborador tóxico pode ser menos óbvio do que inicialmente se pode pensar. Não é necessariamente o funcionário mais “difícil”, ou que aparenta ser mais conflituoso. Um colaborador tóxico é identificado por sinais mais subtis. Saber como identificá-los
é algo importante, não só para os profissionais dos recursos humanos, como para líderes, gestores e restante equipa de trabalho.

5 sinais que ajudam a identificar colaboradores tóxicos

1. Descuram das suas responsabilidades

Este ponto pode englobar algumas situações distintas. A mais frequente é a repetição da frase “mas esse não é o meu trabalho”, ou “não me pagam para isso”. Estas declarações feitas no âmbito de um trabalho de equipa são muito negativas para a moral do grupo e quebram completamente os laços de confiança estabelecidos. É um atitude individualista, que não pode, nem deve, estar enquadrada numa organização.

2. Privilegiam momentos de lazer em vez do trabalho

E, além disso, tendem a tentar convencer os outros a seguir por exemplo. Existe inclusive uma pressão psicológica sobre outros colegas, que abordaremos mais à frente. Este tipo de colaborador representa uma distração e um entrave à produtividade. Sobretudo quando consideram que nada mais têm a provar dentro da organização.

Este tipo de atitude desenvolve-se com o tempo, acabando por ser uma consequência lgo comodista. Atividades que promovam a motivação dos colaboradores, de forma frequente, é importante para combater esta lacuna.

3. Mantêm conversas paralelas e dão azo a rumores

A expressão coloquial “fofoqueiro” aplica-se a este tipo de colaborador, mas com um toque ainda mais negativo, já que as informações divulgadas de forma paralela às pessoas envolvidas, podem ter como objetivo prejudicá-las, e à sua reputação profissional.

É muito fácil cair na tentação de falar sobre outros colegas, mesmo que a princípio não exista maldade. Infelizmente, este é um exemplo de uma situação que rapidamente escala, da pior forma possível. Informações falsas nunca resultam em nada positivo. O colaborador ue tem como hábito este tipo de comportamento é, de facto, tóxico.

4. Não veste a camisola da equipa

Ou seja, apenas consideram o trabalho de equipa como um meio para atingir um fim. Não hesitam em receber os frutos de um trabalho bem feito de uma forma individualista, ou de mostrar uma certa necessidade de destacar o papel que tiveram em determinada tarefa.

É alguém que não hesita em culpabilizar outros colegas por hipotéticos erros, sem, neste caso, assumir de forma factual o seu papel no trabalho realizado. Para identificar este tipo de colaborador tóxico, o melhor é mesmo considerar os sinais verbais, o tipo de diálogo: “não fui eu”, “essa parte pertence a xyz”, “terá de falar com xyz, não tenho nada a ver com isso”.

5. Exercem pressão psicológica sobre outros colegas

Como já foi referido, um colaborador tóxico tem uma certa tendência para a vitimização, para a chantagem emocional, para tentar minar o bom trabalho de outros colegas. Com este tipo de comportamento, atuam particularmente sobre os colaboradores mais recentes ou mais jovens.

Um bom trabalhador não precisa de ser comparado com ninguém, não tem uma constante necessidade de atenção e não querem que outros façam menos para que pareçam bem. Motivam os colegas a trabalhar bem e ajudam a melhorar os canais de comunicação, para que o trabalho seja eficaz e produtivo.

 

Artigos sugeridos

Júlia Rocha

Gestora e criadora de conteúdos para marcas, com paixão por grandes histórias. Nunca sai de casa sem papel e caneta, e adora longas viagens.

Este artigo foi útil? Partilha com os teus amigos