Como construir um CV que impressione um bot? Dicas para contornar a IA

Por vezes, os currículos que submetes em plataformas e sites de recrutamento são recebidos por bots, ou passam por um processo de triagem através de inteligência artificial. Nestes casos, a construção do teu CV deve contemplar alguns aspetos que são diferentes do método habitual. Sabe mais.

Construir um CV que impressione um bot é possível? Sim, podes contornar a inteligência artificial que tem um papel tão importante no dia-a-dia dos recursos humanos. Mas tens de adaptar a forma e o método de redação e construção do currículo.

A utilização de inteligência artificial no momento de triagem de CVs e em processos de recrutamento, é algo que veio poupar bastante tempo a quem trabalha nos departamentos de RH. O que se traduz num novo desafio para candidatos. Recrutadores de carne e osso são capazes de analisar o mais genérico dos CVs e encontrar o que procuram. Os chamados bots funcionam com algoritmos, que são programados para encontrar o CV que melhor corresponde ao que lhes foi pedido para encontrar.

Sabe como convencer um bot com o currículo, aumentando as tuas probabilidades de entrevista, com estas dicas.

6 dicas para construir um CV para um bot

1. Cria um CV diferente para cada oferta

A tendência é ter um CV principal e submetê-lo na grande maioria das ofertas a que nos candidatamos. As alterações feitas em cada caso são, normalmente, mínimas. A personalização mais consistente é habitualmente deixada para a carta de apresentação ou motivação.

Para impressionar um bot, o CV deve ser completamente dedicado à função para a qual te candidatas. Sobretudo a nível das competências técnicas. Se a oferta contempla a necessidade de ter conhecimentos de Microsoft Excel, por exemplo, é isso que o bot vai procurar. Trata das tags, palavras-chave e blocos de texto. Devem ser diretos e relevantes à função. Esta personalização pode fazer a diferença.

2. Resiste à tentação de ser criativo

É verdade que um CV criativo se distingue dos demais. Mas isso acontece nas mãos de um recrutador (humano), não de um bot que está programado para identificar determinadas palavras. Evita usar imagens e logótipos, conteúdos gráficos no geral. O bot pode não reconhecer esses elementos e considera o espaço como vazio. É também aconselho escolher uma fonte de texto que seja mais comum.

3. Sê direto e preciso

Não é relevante fazer uma listagem de toda a experiência profissional ou académica. Sô o mais direto possível, já que, se o bot aprovar o teu currículo, é provável que sejas chamado para uma entrevista. Aí sim, poderás discriminar de uma forma mais extensiva, todo o teu percurso. Mantém as informações mais recentes e com maior relevância.

4. Mantém os cargos simples

Mais uma vez, pensa nas tags e nas palavras-chave que o bot vai procurar o currículo. É importante ser direto e manter os cargos que tiveste noutras empresas da mesma forma. Se a oferta for para um “gestor de marketing”, é isso que o bot vai procurar, não por outros termos ou palavras, como “marketing expert”.

5. Inclui uma carta de apresentação

A carta de apresentação é a grande oportunidade que o candidato tem para brilhar e se distinguir no meio de tantas candidaturas. Se durante o CV tiveste de manter uma linguagem robótica, com a carta de apresentação podes voltar a “falar” como um humano.

Uma carta de apresentação dá-te a oportunidade de falar com o recrutador, com os recursos humanos da empresa. Explica porque é que és a pessoa adequada àquela função, quais são os pontos mais fortes da tua personalidade, etc. Aproveita a carta de apresentação, para compensar a falta de criatividade do CV, mas sem exageros.

6. Verifica a ortografia e gramática

Um currículo sem erros é sempre obrigatório. Contudo, errar é humano, assim como perdoar. O que significa que uma máquina pode não o fazer. É essencial garantir que não existem erros ortográficos ou gramaticais, para que o teu CV não seja visto da pior forma.

 

Artigos sugeridos

Júlia Rocha

Gestora e criadora de conteúdos para marcas, com paixão por grandes histórias. Nunca sai de casa sem papel e caneta, e adora longas viagens.

Este artigo foi útil? Partilha com os teus amigos