Disparidade salarial em Portugal: qual é o cenário geográfico?

disparidades salarial Portugal

Apesar da evolução positiva dos últimos anos, Portugal mantém disparidades em matéria salarial. Do Norte a Sul do país os salários variam conforme a região. Saiba mais.

As diferenças salariais acentuaram-se durante a crise devido ao tipo de empregos existentes em cada região. Hoje, embora a economia do país pareça estar a melhorar, as desigualdades salariais regionais continuam a existir e são, ainda, muito evidentes.

A Área Metropolitana de Lisboa é a região privilegiada em termos de rendimentos: é a única com um rendimento superior à média nacional. As diferenças nas restantes regiões são, porém, menos pronunciadas do que nas ilhas. É no Alentejo que existem os rendimentos mais baixos.

Disparidade salarial em Portugal

É na capital que os trabalhadores recebem mais. Em sentido contrário, as zonas mais penalizadas pelas desigualdades regionais são o Algarve e o Alentejo. A única surpresa é a zona norte, onde os ordenados médios têm vindo a subir nos últimos anos.

Como vai ser o local de trabalho em 2020?

Os ordenados dos habitantes da área metropolitana da capital estão acima da média nacional. Em Lisboa ganham-se mais quase 1600 euros por ano do que os restantes habitantes do país. Esta diferença é justificada pelo tipo de trabalho que está localizado nesta zona de Portugal. É um facto que os bons empregos, em termos de remuneração, concentram-se na capital.

Em 2017, o relatório do Instituto Nacional de Estatística (INE) revelou que o rendimento mediano em Portugal foi de 9346 euros anuais. Em Lisboa, chegou quase aos 11 mil euros por ano (10.943) – um valor significativamente mais elevado.

No sentido oposto, o rendimento é mais baixo nas regiões autónomas. Na Madeira, o rendimento ficou 1020 euros abaixo da média nacional, em 2017.

Já os Açores têm o pior registo de todas as regiões nacionais. O rendimento monetário líquido foi de 7517 euros, em 2017, menos 1829 do que a mediana do país — e 3426 euros abaixo do de quem vive na Grande Lisboa.

Por sua vez, a zona norte mostra uma evolução positiva, tendo os ordenados médios vindo a subir nos últimos anos. Esta subida deve-se muito ao crescimento das exportações, do turismo e do fraco peso da função pública.

Artigos sugeridos

Sara Gonçalves

Comunicadora por natureza, tem três grandes paixões: as pessoas, a escrita e a música. Motivada pela ânsia de aprender sempre mais, é uma pessoa de desafios e acredita muito no lado bom da vida.

Este artigo foi útil? Partilha com os teus amigos