Marcelo Rebelo de Sousa

marcelo rebelo de sousa

Quem não reconhece o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, como uma história de sucesso? Na história atual portuguesa é, provavelmente o líder mais acarinhado por toda a população.

Professor catedrático de direito, jornalista, comentador político, líder partidário… E, finalmente, Presidente da República Portuguesa. Nascido a 12 de dezembro de 1948, Marcelo Rebelo de Sousa cresceu em Lisboa, apesar de manter laços afetivos estreitos com Celorico de Basto, de onde é a família do pai. Ainda hoje é mecenas da Biblioteca deste município e é lá que exerce o seu direito de voto.

O pai, Baltasar Rebelo de Sousa, foi ministro do Ultramar durante o Estado Novo, sendo que o antigo Presidente do Conselho, Marcello Caetano foi quem inspirou o nome do atual Presidente, por ter levado a mãe ao hospital por altura do seu nascimento.

Sabias que o Presidente da República repetiu o quarto ano de escolaridade? Daí, estudo no Liceu Pedro Nunes e licenciou-se pela Faculdade de Direito da Universidade de Lsiboa, com 19 valores de média final.

Guia Jobinice: Histórias de Sucesso

Marcelo Rebelo de Sousa: uma vida política e de ativismo

Ao longo da vida, Marcelo Rebelo de Sousa participou em vários movimentos da Igreja Católica. Foi dirigente associativo e ainda hoje é membro de um sem número de instituições particulares de solidariedade social e outras. É adepto e sócio do Sporting Clube de Braga.

Entrou no mundo mais puro da política após o 25 de abril, quando aderiu ao Partido Social Democrata. Pelo PSD, foi deputado da Assembleia Constituinte, Secretário de Estado e Ministro dos Assuntos Parlamentares, durante a década de 80, do governo da Aliança Democrática. Chegou a ser líder do partido entre 1996 e 1999.

Otimizamos o teu linkedinPowered by Rock Convert

A “restante” vida profissional foi dedicada ao ensino, jornalismo e comentário político. Foi através desta última atividade, no Jornal Nacional da TVI, aos domingos à noite, que se tornou mais conhecido e reconhecido pela população portuguesa.

Enquanto jornalista, trabalhou no semanário Expresso, desde a sua fundação, em 1973. Posteriormente dirigiu o Semanário (1983-1987), jornal de que foi também acionista fundador. O comentário político começou na TSF em 1993. Em 2000 entra na TVI, de onde sairia em 2004, na sequência de alegadas pressões sobre o canal por parte do governo da altura.

A partir de 2005, prosseguiu com a análise política aos domingos, desta vez na RTP. Às segundas-feiras, a sua opinião encontrava a normalmente contrária, de António Vitorino. Mais tarde, os dois comentadores acabariam por sair do canal público. Marcelo voltou à TVI, entre 2010 e 2015, no Jornal das 8.

Candidatura à Presidência da República

Em 2015, anunciou a candidatura às eleições presidenciais de 2016. Afirmou que não existiriam cartazes na sua campanha eleitoral, e de resto, a mesma não foi muito intensa, embora se encontrasse com larga vantagem sobre os outros candidatos presidenciais, segundo as sondagens. Foi eleito presidente à primeira volta em 24 de janeiro de 2016.

É o povo quem mais ordena, e foi o povo que me quis dar a honra de me eleger Presidente da República de Portugal.

Marcelo, já condecorado por Mário Soares com a Comenda da Ordem de Santiago da Espada e por Jorge Sampaio com a Grã-Cruz da Ordem do Infante D. Henrique, mantém um registo de popularidade junto da população sendo acarinhado pela grande maioria. Recebeu a denominação de “Presidente dos Afetos”, por estar presente junto da população em momentos particularmente desafiantes.

Artigos sugeridos
Pack Seviços de consultoriaPowered by Rock Convert

Júlia Rocha

Gestora e criadora de conteúdos para marcas, com paixão por grandes histórias. Nunca sai de casa sem papel e caneta, e adora longas viagens.