Papa Francisco

papa francisco

Jorge Mario Bergoglio, o Papa Francisco, líder da Igreja Católica, é a história de sucesso desta semana. Depois de oito anos de pontificado continua a desafiar muitas das noções previamente definidas pelos seus antecessores.

Ao ser eleito e ao iniciar o seu pontificado em março de 2013, o Papa Francisco tornou-se no primeiro sumo pontífice do continente americano, o primeiro originário do hemisfério sul e o primeiro para não-europeu desde o século XVIII.

Em seis anos de pontificado, assume-se como o Papa Revolucionário: pôs a Igreja a discutir a homossexualidade, aborto, fim do celibato de padres, ordenação de mulheres… Criticou o capitalismo, as carreiras eclesiais e forçou o clero a encarar os abusos sexuais. Há dias, aboliu o segredo pontíficio para casos de abuso sexual. Ou seja,levanta-se o véu de silência e secretismo à volta dos casos de abuso sexual na Igreja Católica.

Francisco parece estar a começar a mexer na doutrina da Igreja, e a deixar uma marca histórica, no mundo. Quais são as origens das ideias deste papa argentino?

Guia Jobinice: Histórias de Sucesso

Papa Francisco: das ruas de Buenos Aires ao Vaticano

Padre desde 1969, Jorge Mario Bergoglio é jesuíta. Tornou-se Arcebispo de Buenos Aires, a capital argentina, em 1998 e confirmado cardeal em 2001, pelo Papa João Paulo II. É o filho mais novo de um casal de emigrantes italianos.

O papa, que já foi capa da revista Rolling Stone, teve um papel preponderante durante as revoltas na Argentina, em 2001, quando já era cardeal. Foi assumidamente um adversário político da administração Kirchner.

Durante a vida pública, o Papa Francisco tem-se tornado (re)conhecido pela sua humildade, pela preocupação demonstrada pelos mais pobres e por ser um defensor do diálogo entre as diferentes religiões.

Mas é sobretudo conhecido por ter uma posição menos formal do que os seus antecessores no Vaticano. Não reside nos apartamentos papais, normalmente cedidos ao sumo pontífice em ofício e defende que a Igreja deve ser mais aberta a todos. Ainda assim, mantém as propostas mais conservadoras relativamente ao aborto, casamento, ordenação de mulheres e celibato de padres.

Contudo, Francisco, formado em Química pela Universidade de Buenos Aires, enfrenta críticas cada vez mais abertas, particularmente de conservadores teológicos, sobre muitas questões, incluindo a admissão de católicos divorciados e casados apenas em registo civil, à Comunhão, assim como pelo suposto encobrimento do abuso sexual do clero.

O Papa “moderno”

O Papa Francisco não se coloca à parte de questões sociais e políticas, como as alterações climáticas. Esta temática é, assumidamente, um dos pontos centrais do seu papado. Lembramos que a ordem a que pertence é a dos Jesuítas, caracterizada pelos votos de pobreza. Francisco sempre condenou o capitalismo exacerbado e o marxismo sem limites.

Desde 2018 que tem sido um grande opositor a movimentos nacionalistas, e esteve presente nas negociações entre os EUA e Cuba, assim como noutras questões políticas. Apesar de manter a doutrina católica contra a união de casais do mesmo sexo e adoção de crianças por parte dos mesmos, deixou claro que uma pessoa homossexzual que procure Deus não pode ser julgada por ninguém, nem pelo Papa.

Assume-se também como um forte opositor ao desperdício de comida em todo o mundo, sendo um tema que aborda frequentemente nas suas homilias. Por estarmos na semana de Natal, o Papa Francisco é hoje a nossa história de sucesso.

Artigos sugeridos

Júlia Rocha

Gestora e criadora de conteúdos para marcas, com paixão por grandes histórias. Nunca sai de casa sem papel e caneta, e adora longas viagens.

Este artigo foi útil? Partilha com os teus amigos