11,5% dos portugueses já trabalharam para plataformas digitais

plataformas digitais

Neste momento Portugal é o terceiro país europeu com maior percentagem de trabalhadores que já estiveram a trabalhar para plataformas digitais, em algum momento.

A Organização Internacional do Trabalho (OIT), dá o nome de “exército invisível”, a estas plataformas digitais que empregam milhares de pessoas. Portugal é o terceiro país da Europa com mais trabalhadores ligados a estes serviços (11,5%). Só é ultrapassado pelo Reino Unido (12%) e por Espanha (12,5%).

Dentro do conceito de plataformas digitais entram várias categorias de trabalho, desde a prestação de pequenos serviços, como tradução ou revisão de texto, até à entrega de comida, como a Glovo, ou de transporte, de que é exemplo a Uber.

Ministério da Educação cria mais escolas para atletas-estudantes

Trabalho em plataformas digitais: dados da Comissão Europeia

Este fenómeno que afeta o mundo do trabalho é provocado pela digitalização da economia. O termo “exército invisível” surge devido à dificuldade que existe em perceber o concreto número de pessoas que trabalham para estas plataformas.

Os dados são da Comissão Europeia e são relativos a 2017. Foram recolhidos através de um inquérito online chamado JRC COLLEEM e divulgados através do documento Digital Labour Platforms in Europe.

A Comissão pretende perceber como funciona este tipo de mercado, o perfil dos trabalhadores e que peso tem para o rendimento dos cidadãos. Este inquérito revela ainda que, em Portugal, 2,1% dos inquiridos refere o trabalho para plataformas digitais como a sua principal ocupação.

A OIT procura medidas de proteção para este “exército invisível”. A ligação entre as duas partes ser estabelecida de forma digital contribui para uma falta de transparência no setor. Existe também uma grande dificuldade em perceberem quanto auferem.

Num estudo recente, chamado Plataformas Digitais e o Futuro do Trabalho, a OIT elaborou um conjunto de várias medidas. O objetivo é dar garantias aos trabalhadores, num panorama que caminha a passos largos para a digitalização do trabalho.

Outras notícias

Júlia Rocha

Gestora e criadora de conteúdos para marcas, com paixão por grandes histórias. Nunca sai de casa sem papel e caneta, e adora longas viagens.

Este artigo foi útil? Partilha com os teus amigos