Qual profissão deves seguir? 3 Questões que deves fazer a ti próprio

qual profissão seguir

A pressão de escolher uma profissão é grande e começa desde cedo. Se estás nesta fase, podes manter a calma, porque não é uma ciência exata. Usa as três questões que aqui te apresentamos, como guia. As respostas refletem o que é melhor para ti.

A escolha de uma profissão pode ser encarada como uma das principais escolhas que uma pessoa faz na vida. E a verdade é que, de facto, é importante. Mas é um processo mais fluido do pode parecer.

Aconselhamos-te a pegar numa caneta e numa folha de papel e a colocar a ti mesmo algumas questões. Reflete sobre as respostas, exteriorizando o que estás a pensar sobre o assunto. Com estas respostas mais claras, vais conseguir perceber qual é o melhor caminho profissional para ti.

Qual profissão deves seguir? 3 Questões que deves fazer a ti próprio

1. Quais são os meus interesses?

Ter interesses variados em áreas distintas é bastante saudável. E é desta forma que deves encarar a tua indecisão. Não há nada de errado em ter gostos diversos. Contudo, a verdade é que as pessoas que estão mais satisfeitas com as carreiras que seguiram, são aquelas que realmente gostam do que fazem-

Começa por pensar em que tipo de atividades gostas de passar o tempo. Se puderes escolher, como preferes passar o tempo livre? E nessas atividades, o que é que te atrai? Preferes passar tempo ao ar livre ou dentro de casa? Gostas de socializar, ou preferes estar sozinho?

Que livros lês e que séries ou filmes preferes? A que eventos ou espaços de lazer gostas de ir? Aliar as respostas a estas perguntas, às disciplinas ou cadeiras que mais gostavas na escola, ajuda-te a definir uma lista de interesses.

2. Quais são os meus conhecimentos e competências?

Basicamente, o que sabes fazer? O que é que estudaste e aprendeste? Tem de haver uma relação entre este ponto, e os teus interesses. Também te podes questionar se estás disposto a adquirir novas competências.

Cria um inventário das tuas competências e dos teus conhecimentos. Organiza-as segundo as hard skills e as soft skills. Entre o que aprendeste e adquiriste durante os anos de formação, e as competências interpessoais e sociais. Colocá-las por escrito é, inclusivamente, uma mais-valia para ti.

3. Quais são as minhas necessidades?

Podes responder a esta pergunta se estás a começar a tua carreira, ou numa fase de mudança de profissão. Do que é que precisas? Aumento salarial? Mudar de cidade? Um emprego ou profissão com a qual seja possível conciliar estudos?

Aproveita a resposta a esta pergunta para definires o que queres a longo prazo, para a tua carreira. Se a progressão rápida é importante ou não, se gostarias de trabalhar em funções que te permitissem viajar, ou até se gostarias de fazer trabalho remoto ou freelancer.

Lembra-te que não há uma única resposta certa e que não existem dois percursos iguais. O que te interessa agora pode não corresponder ao que te vai interessar daqui por dois ou cinco, ou até dez anos. O que importa é aplicares os teus conhecimentos e valores pessoais de uma forma compensatória para ti.

A equipa do Jobinice deseja-te boa sorte!

 

Artigos sugeridos

Júlia Rocha

Gestora e criadora de conteúdos para marcas, com paixão por grandes histórias. Nunca sai de casa sem papel e caneta, e adora longas viagens.

Comentários