Salários revistos em negociação aumentam em torno dos 3%

salários

Remunerações atualizadas levam aumento acima dos 2,7% apresentados à Concertação social. Ainda assim, valor fica abaixo do salário da generalidade dos trabalhadores.

Prevê-se que a renovação de tabelas de convenções coletivas de trabalho venha neste ano a assegurar aumentos de remunerações em torno dos 3%. As estimativas são da UGT e da CGTP com base na evolução dos dados da Direção Geral do Emprego e das Relações de Trabalho (DGERT) até novembro.

Salários aumentam 3%

Caso as subidas estimadas se concretizem, este será o segundo ano consecutivo de um valor que já supera os 2,7% de patamar mínimo para negociação de referencial de aumentos em discussão na Concertação Social.

Segundo o secretário-geral da CGTP, Arménio Carlos, a evolução dos salários andava na ordem dos 3,2%, 3,3% nos primeiros três trimestres deste ano. Também Sérgio Monte, secretário-geral adjunto da UGT, admite que a renegociação de tabelas possa garantir ganhos médios em torno dos 3% para os trabalhadores abrangidos.

Trabalhadores da Portway em greve durante três dias

Com a diferença a chegar perto dos 30 euros, as remunerações da contratação coletiva têm-se, contudo, mantido abaixo das da generalidade dos trabalhadores.

A renovação de convenções coletivas abrangia quase 725 mil trabalhadores até novembro deste ano.

Os dados finais do ano da DGERT só vão ser conhecidos no final de janeiro, já depois de os parceiros terem regressado à mesa do Conselho Permanente de Concertação Social para negociarem o acordo de rendimentos e competitividade proposto pelo governo com o objetivo de apoiar uma subida das remunerações médias do país.

Outras notícias

Sara Gonçalves

Comunicadora por natureza, tem três grandes paixões: as pessoas, a escrita e a música. Motivada pela ânsia de aprender sempre mais, é uma pessoa de desafios e acredita muito no lado bom da vida.

Este artigo foi útil? Partilha com os teus amigos