Sky Portugal abre vagas para quem quiser “trabalhar no futuro da televisão”

SKY vagas

A Sky prepara-se para crescer a nível de contratações. Até 2021, a empresa tecnológica pretende atingir os 400 trabalhadores no centro lisboeta.

A britânica Sky vai continuar a aumentar a equipa em Portugal e o próximo objetivo já está definido: passar dos 200 funcionários que tem agora para 400, num processo que ficará completo até 2021.

Segundo António Vieira, head of technology da Sky em Portugal, a mudança de escritório foi um dos fatores que potenciou a contratação de novos colaboradores. Mas não só: a necessidade de serem feitas novas contratações surge também para suportar o volume de trabalho da empresa, “que tem crescido ao longo dos anos”, recorda o responsável.

Instalado em Lisboa desde 2015, o centro tecnológico da Sky exporta tecnologia para as diversas localizações da empresa, que desenvolve maioritariamente serviços de televisão, nomeadamente de streaming.

Vagas Sky: Perfis maioritariamente tecnológicos

As vagas são maioritariamente destinadas a perfis tecnológicos, nomeadamente relacionados com as engenharias.

Contudo, relativamente ao perfil a contratar, a empresa mostra-se exigente. De acordo com Ana Silva, responsável pela área de recursos humanos da Sky, há uma necessidade de recrutar perfis completos, que sejam capazes de pensar em várias estratégias para resolver determinados problemas.

Como pontos-chave para a contratação estão a possibilidade de trabalho a nível internacional, nomeadamente com “intercâmbios” entre as várias localizações da Sky. Além disso, há ainda a possibilidade de “trabalhar no futuro da televisão”, com o desenvolvimento de novas soluções para o mundo do streaming.

Aumentar o número de mulheres é um objetivo

A Sky em Portugal traçou ainda um segundo objetivo: aumentar o número de mulheres na equipa, não só por causa de regras de equidade ou políticas da empresa, mas principalmente porque “enriquece a empresa e o produto final”, salienta Ana Silva.

Governo dá tolerância de ponto à função pública a 24 e 31 de dezembro

Entre os atuais 245 trabalhadores do centro da Sky em Portugal, apenas 25 são mulheres. Ana Silva reconhece que o número de candidaturas feitas por mulheres ainda está abaixo do desejado, mas que a empresa tem apostado em várias estratégias para “comunicar de uma forma inclusiva”.

Tanto António Vieira como Ana Silva reconhecem que o desafio de ter maior representatividade feminina no mundo tecnológico é um trabalho que precisa de ser feito e pensado a longo prazo.

“As empresas vão desenvolver melhores produtos quando tiverem uma equipa mais diversa”, conclui a responsável pela área de recursos humanos.

Outras notícias

Sara Gonçalves

Comunicadora por natureza, tem três grandes paixões: as pessoas, a escrita e a música. Motivada pela ânsia de aprender sempre mais, é uma pessoa de desafios e acredita muito no lado bom da vida.

Este artigo foi útil? Partilha com os teus amigos