TAP vai contratar cerca de 800 novos trabalhadores em 2020

recrutamento tap

Pelo menos mais uma centena de pilotos, e mais de seiscentos assistentes de bordo, são os objetivos de recrutamento da TAP para 2020. Desde a privatização em 2015, já foram contratados mais de três mil colaboradores em Portugal.

A companhia aérea portuguesa está a preparar campanhas de recrutamento para o novo ano que se avizinha. A TAP, empresa privada desde 2015, quer integrar cerca de 800 novos colaboradores, entre pilotos e assistentes de bordo, para fazer face ao crescimento que se está a registar.

Só no ano passado, a empresa recrutou 1113 pessoas: 137 pilotos, 566 comissários de bordo, 77 técnicos para manutenção das aeronaves, 117 colaboradores para o hub de Lisboa, 68 para o contact center, 95 engenheiros e 63 quadros superiores.

Atualmente, a TAP voa para 90 destinos em 36 países em todo o mundo. Dispõe de 106 aviões, que fazem cerca de três mil voos semanais, em média.

Governo dá tolerância de ponto à função pública a 24 e 31 de dezembro

Recrutamento TAP

Estas vagas ainda não estão abertas para receber candidaturas, mas se estás interessado, confirma os requisitos que a TAP costuma colocar nos seus anúncios.

Comissários/Assistentes de bordo:

  • Capacidade para trabalhar em equipa, iniciativa e dinamismo;
  • Boa interação pessoal e eficaz capacidade de comunicação;
  • Resistência ao stress;
  • Orientação para o cliente;
  • Sentido de responsabilidade, organização e assertividade;
  • Mínimo 12.º ano de escolaridade ou equivalente oficial;
  • Altura mínima de 1,60m e máxima de 1,90m;
  • Bom domínio de conversação e leitura de português e inglês, sendo que é valorizado o conhecimento de outras línguas estrangeiras;
  • Boa capacidade de comunicação;
  • Boa imagem;
  • Excelentes condições de saúde;
  • Não ter tatuagens e piercings visíveis;
  • Conhecimentos de informática na ótica do utilizador;
  • Saber nadar.

Pilotos:

  • 12.º ano ou equivalente;
  • Dominar o português e inglês, escrito e falado;
  • Conhecimentos de informática na ótica do utilizador;
  • Licença EASA CPL (A);
  • Certificado médico EASA Classe 1;
  • Exames teóricos de Linha Aérea válidos;
  • Averbamento de nível de inglês técnico na licença igual ou superior a 4;
  • Qualificação de instrumentos em aviões multimotores;
  • Formação MCC;
  • Excelente capacidade de liderança, comunicação e de trabalho em equipa;
  • Elevado desempenho em termos de assertividade, tomada de decisão e de resolução de problemas;
  • Sólidos conhecimentos aeronáuticos, associados a um excelente desempenho técnico e operacional;
  • Valorização de Type Rating A320 (com um mínimo de 500h no tipo) e de proficiência 5 ou 6 em inglês técnico;
  • Preferência no aproveitamento em Matemática A e formação universitária.

Podes ir consultando as informações, aqui.

Outras notícias

Júlia Rocha

Gestora e criadora de conteúdos para marcas, com paixão por grandes histórias. Nunca sai de casa sem papel e caneta, e adora longas viagens.

Este artigo foi útil? Partilha com os teus amigos