Trabalho freelancer: 3 passos para seres bem-sucedido

trabalho freelancer

Estás a considerar trabalhar como freelancer? Fazer a transição pode ser um desafio. Implementar este regime profissional pode ser vantajoso, dependendo a atividade. Damos-te um guia de 3 passos, para seres bem-sucedido.

São muitos os profissionais que preferem construir uma carreira como freelancer. São também bastantes os que fazem a transição de trabalho dependente, numa empresa/escritório, que optam por fazer a transição para esta modalidade. Quem não quer ser o seu próprio patrão?

A liberdade e a flexibilidade são as principais razões para esta escolha. E até pode ser uma opção mais rentável, dependendo da atividade profissional. Ainda assim, existem desafios que precisam de ser ultrapassados, no sentido de estabelecer rotinas e uma carteira de clientes, que te permitam ser bem-sucedido. A relação estabelecida, entre o freelancer e a empresa que contrata os serviços, é uma transação comercial, em que o freelancer é o prestador e o contratante é o cliente.

3 passos para seres um freelancer bem-sucedido

A tua atividade funciona bem em regime freelancer? Se a resposta é sim, ótimo! O primeiro desafio está ultrapassado. Agora, põe as tuas capacidades organizacionais em prática.

I – Usa um contrato em cada projeto

Já diz o ditado que “prevenir é melhor que remediar”. Teres um contrato de prestação de serviços com a empresa, ou pessoa, que requer os teus serviços, é uma salvaguarda. Desta forma estás a defender a tua propriedade intelectual e a garantir que não vais ficar sem pagamento quando o projeto ficar concluído.

Podes também considerar pedir um pré-pagamento, no início da relação de trabalho. Nem todas as empresas estão dispostas a aceitar este tipo de pedidos, mas se não confiares a 100% na entidade, pode ser um elemento a considerar. Trabalhar como freelancer obriga-te a confiar nos teus instintos, reconhecer o valor do teu trabalho e saber vendê-lo.

Estes são alguns pontos que o contrato deve incluir:

  • Originalidade dos conteúdos/tarefas;
  • Acordo de confidencialidade;
  • Termos de pagamento;
  • Situações previstas para um hipotético término de contrato e/ou alargamento e as respetivas implicações;
  • Responsabilidades de ambas as partes relativamente ao material produzido, no final do projeto.

II – Aposta no teu marketing pessoal

Competências, soft skills, motivações, percurso profissional, projetos relevantes… Estes pontos refletem e determinam quem és enquanto profissional. É isto que estás a vender enquanto freelancer. É para estes parâmetros que as empresas olham.

Cria uma boa presença nas redes sociais, especialmente as que pretendes usar para mostrar o teu trabalho. Se se aplicar, mantém um portfolio em suporte físico e outro em digital, cria um site, escreve cartas de apresentação e, sobretudo, mantém todas as tuas informações atualizadas.

As tuas plataformas devem refletir quem és e de que forma trabalhas. Será uma mais-valia refletirem também em que projetos pretendes trabalhar. Se estás a começar como freelancer, criar uma rede de contactos é a parte mais importante, e deves aceitar vários tipos de trabalho, para perceber de quais gostas mais.

Com o passar do tempo, faz os possíveis por atrair os projetos em que realmente queres trabalhar. Um portfolio bem trabalhado, é a melhor forma de o fazer.

III – Organiza o teu espaço de trabalho

Neste passo, podemos abordar dois tópicos importantes para ser bem-sucedido, como freelancer. É necesário estabelecer uma rotina e ter um espaço de trabalho organizado e limpo. Apesar de não teres de sair fisicamente de casa para ir para um escritório, vais ter de “sair” para trabalhar.

Ou seja, tem de haver um espaço que serve como escritório. É desse mesmo espaço que vais sair ao fim do dia, com sentido de dever cumprido. Idealmente, é um local calmo e livre de distrações, com tudo o que precisas para as tarefas do dia-a-dia.

Podes optar por trabalhar fora de casa, num café, biblioteca ou espaço de coworking. Pode quebrar a rotina e motivar-te num dia aborrecido e solitário. Também nestes espaços é possível arranjar um espaço adequado.

É fundamental estabelecer uma rotina, e cumprir horários, tal como farias se estivesses num escritório. Faz pausas, estipula a hora de almoço e a que horas termina o dia. Claro que é bom adaptar esta rotina ao cliente/projeto com quem estás a trabalhar em determinado momento, e uma grande vantagem de trabalhar em regime freelancer é a flexibilidade. Mas manter um esboço de uma rotina diária é fundamental para um trabalhador freelancer bem-sucedido.

Estás a pensar ser freelancer? Segue os nossos passos e fica atento. Vamos ter mais conteúdos que abordam o tema.

 

Artigos sugeridos

Júlia Rocha

Gestora e criadora de conteúdos para marcas, com paixão por grandes histórias. Nunca sai de casa sem papel e caneta, e adora longas viagens.